quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Pés, salto alto e dança

Olha aí galera, um artigo bem legal que achei lá no site da Central da Dança do Ventre:

Pés, salto alto e dança

PÉS. Os pés são uma estrutura delicada. É composto por 26 ossos, 38 articulações, 17 ligamentos e 19 músculos. Ele é responsável por dar apoio, equilíbrio, gerar impulso e absorver o impacto durante a marcha. Eles interferem diretamente na postura.
É a estrutura do corpo humano que mais apresenta variações. Existem basicamente três tipos de pés. O pé normal, pronado e supinado.

Estas alterações podem ser observadas na sola dos calçados, quando apresentam um lado mais gasto que o outro.


SALTO-ALTO

A paixão feminina pelo salto-alto é antiga. Ele se tornou acessório indispensável no dia a dia. Afinal que mulher não gosta de usar?

Os efeitos do salto-alto são inúmeros e variáveis de indivíduo para indivíduo. Eles aumentam a instabilidade, favorecendo o risco de entorses e estiramentos. Causam alterações no centro de gravidade (ponto de equilíbrio do corpo).

A sobrecarga articular acontece, sendo tornozelos e joelhos os mais afetados.


Como o peso é deslocado para o antepé (ponta dos pés), faz com que uma pequena região absorva à maior parte do impacto e suporte grande carga. Isto no ponto de vista da reflexologia traz inúmeras conseqüências.


SALTO NA DANÇA


Na dança, os efeitos do salto-alto sem duvida serão potencializados. Principalmente quando se trata de instabilidade e sobrecarga articular. Isto aumentará proporcionalmente com a altura do salto.

Os cuidados com os tornozelos e principalmente os joelhos devem ser redobrados. Alguns itens devem ser observados e alguns questionamentos realizados como por exemplo:
- Sinto dores após usar salto para dançar?
- Onde estas dores estão instaladas?
- Há quanto tempo estes sintomas existem?
- Isto está interferindo diretamente na minha postura? Como?

Para evitar lesões o melhor caminho é a prevenção, com o trabalho diário de aquecimento, alongamento, fortalecimento muscular e consciência corporal.


QUANDO E COMO USAR

Realmente tem ocasiões em que não dá para deixar de usar o salto-alto. Então o que fazer?

O salto-alto não precisa ser deixado de lado, a bailarina precisa saber a forma correta de usá-lo.
Dê preferência por sapatos que não tenham salto demasiadamente altos. O salto n°5 está de bom tamanho.
Deixe para usá-lo durante os shows, evite durante os ensaios e aulas.
O uso do sapato adequado para o seu tipo de pé é importante.


CUIDADOS

Alguns pontos importantes não podem deixar de serem levados em conta como:

- Sobrepeso
- Problemas / Déficit circulatório
- Problemas de coluna
- Alterações posturais importantes.
- Patologias em articulações dos membros inferiores.
- Histórico de entorses recorrentes.

DICAS

Hoje é possível encontrar inúmeros tipos e marcar de calçados. Existem modelos especiais para melhor adaptar à cada tipo de pé. Estão no mercado vários tipos de palmilhas para correção e adaptação do pé aos calçados, mesmo os sapatos de salto-alto também possuem fabricação e acessórios para correção destes desvios.

É importante procurar um profissional qualificado para fazer uma avaliação e através da indicação dele, saber qual é o sapato mais adequado à se usar.

Algumas dicas para evitar problemas são:

- Varie a altura do salto se você usa diariamente.
- Prefira sapatos de salto e bicos quadrados. Os plataformas são os mais indicados.
- Massageie seus pés após o uso prolongado. Isto irá favorecer a circulação sanguínea.
- Alongue-se. Isto fará com que os músculos da panturrilha mantenham seu comprimento normal.


ADRIANA HADAD
(Fisioterapeuta e Bailarina)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mulher de Fases